Ortodontia

Conheça nossos tratamentos e volte a sorrir!

Ortodontia é a especialidade que estuda o crescimento e o desenvolvimento dos ossos da face, assim como o desenvolvimento dos dentes e seus desvios de normalidade.


Esses desvios são corrigidos através do uso de aparelhos dentários fixos, placas móveis, entre outros tipos. 
Seu tempo de uso depende de vários fatores, como biológicos, tipo de problema, tipo de aparelho e, principalmente, colaboração do paciente. No geral, duram em média, de 24 a 30 meses.

Como agem os aparelhos dentários?

Eles corrigem a posição dos dentes e dos ossos maxilares, que muitas vezes podem causar dores de cabeça, estresse na mastigação e perda dentária.

5 perguntas e respostas sobre aparelhos dentários

1. O aparelho fixo machuca?
No início do tratamento pode haver um desconforto. Porém, hoje os aparelhos estão melhores do que antigamente: eles são arredondados e proporcionam menos dor.

2. Por que preciso usar aparelho?
Pode ser por diversos fatores. Na maioria das vezes, não há espaço para acomodar todos os dentes, o que faz com que eles entortem e se posicionem de maneira incorreta, atrapalhando na mastigação e na estética do sorriso, podendo ainda causar dores de cabeça.

3. Com que idade é indicado começar o tratamento Ortodôntico?
Assim que aparecerem os problemas. Porém, vale lembrar que, desde a primeira infância, é preciso visitar um odontologista ou odontopediatra, ok?

4. Qual o problema de usar aparelhos feitos por profissionais que não entendem do assunto?
Diversos riscos, desde o insucesso no tratamento a perdas dentárias por movimentação excessiva.

5. Há alimentos proibidos para quem usa aparelho?
Proibidos, não. Porém, não são recomendados alimentos muito duros, balas e chicletes. E, claro, após cada refeição, é preciso escovar os dentes e passar fio dental.

APARELHOS ESTÉTICOS

Seguem o mesmo formato, prescrições e tipos dos aparelhos fixos metálicos, porém são feitos de materiais mais estéticos.

Os primeiros aparelhos estéticos foram fabricados de resinas (Policarbonato) em 1969 e existem até hoje. São em geral mais acessíveis em custo, porém para tratamentos longos, têm alterações de cor, ficando amarelados. Também descolam com mais facilidade dos dentes se a pessoa morder algo inadvertidamente em cima do bráquete. Particularmente, não trabalhamos mais com estes tipos de aparelho.

Os aparelhos estéticos mais comuns são os de cerâmica/porcelana. Os bráquetes de porcelana são translúcidos, normalmente de coloração leitosa. Hoje também existem em diferentes tons de cores dentárias, de esbranquiçados a amarelados. São cerâmicas extremamente duras e não tão lisas quanto os similares de metal. Dificilmente têm descoloração com o uso, e sua aderência aos dentes é alta. Por serem um tipo de vidro, podem lascar-se com maior facilidade deixando bordas afiadas. Em geral os bráquetes são mais volumosos que os similares metálicos, o que pode causar uma demora inicial na adaptação do aparelho à boca.

Mais atualmente existem os aparelhos feitos de Safira sintética, que é um tipo de cristal sinteticamente formado, altamente resistente ao desgaste, muito transparente e mais liso que a porcelana. São os aparelhos mais transparentes existentes atualmente. Como os aparelhos de porcelana, têm uma forte aderência aos dentes.

Para todas essas variações de aparelhos estéticos, existem ainda hoje aparelhos estéticos auto-ligáveis e fios ortodônticos estéticos e  ainda fios coloridos. Em geral são os mesmos fios de metal que alinham os dentes, mas encapados por uma película de resina epóxica bem fina, com um tom cinza-claro ou esbranquiçado, e até em várias cores também. Em geral podem descascar se arranhados.

Ainda há em desenvolvimento, com poucas marcas comerciais ainda, fios não-metálicos, feitos de polímeros plásticos, completamente transparentes. Mas ainda se mostram extremamente limitados quanto ao grau de movimentação dentária desejada e quanto à sua manutenção da forma e elasticidade, o que torna as movimentações dentárias imprevisíveis.

APARELHOS FIXOS

Aparelho fixo metálico: Os primeiros a serem utilizados rotineiramente e ainda atuais.

Existem em vários formatos, tamanhos, espessuras e prescrições.  Todos os tipos servem ao mesmo fim, e permitem ao ortodontista qualificado realizar o mesmo trabalho com o mesmo resultado, de acordo com o seu treinamento e experiência.

aparelho fixo pré-ajustado é hoje um dos mais comumente usados. Nele uma parte dos ajustes que o cirurgião precisa fazer para o posicionamento dentário está pré-programado em cada bráquete, o que acelera as consultas e o andamento inicial do tratamento. Como cada pessoa é única, ao fim do tratamento o cirurgião necessita fazer ajustes individuais para o melhor posicionamento dos dentes para cada caso. 

Mais recentemente o aparelho fixo auto-ligado tem sido a maior novidade. É um aparelho do tipo pré-ajustado, onde não se necessita usar ligaduras (borrachinhas coloridas) para se prender o arco (que movimenta os dentes) ao bráquete, porque cada bráquete tem uma tampinha metálica própria, que faz o papel da ligadura. Pode acelerar mais ainda o tratamento em alguns estágios por oferecer menor atrito entre o arco e os bráquetes.

Conheça nossos tratamentos